Divulgação

Tem coisas na vida que nunca são notadas. Um pôr do sol na avenida onde fica o trabalho. Um "bom dia" de um desconhecido. Ou até mesmo perceber que o dia já passou e não foi dado conta. Essas são coisas que já fazem parte da rotina. Mas quando algo novo acontece, é notado e lembrado. Isso é o que acontece com Décio (Gigante Leo) no longa-metragem Altas Expectativas, que tem estreia marcada para 07 de dezembro.

Décio é anão e um treinador de cavalos do Jockey Club do Brasil, em São Paulo, que passa dias e dias fazendo a mesma rotina: Acordando, indo ao trabalho e retornando para casa. Até que em dado momento Lena (Camila Márdila) abre uma cafeteria próximo ao escritório onde Décio e sua chefe Lia (Maria Eduarda Carvalho) ficam durante o expediente.

Como em qualquer romance, acontece uma atração. Décio se apaixona por Lena, mas por conta de sua insegurança, visto o próprio achismo de que a moça teria preconceito ao notar que ele sofre de nanismo, ele demorou a interagir com ela. Com o tempo, a cafeteria de Lena começou a sofrer com problemas financeiros, e Flávio (Milhem Cortaz), o primeiro cliente a entrar no local, começou a se aproximar da moça e a conquistá-la de pouco em pouco, o que causou raiva e inveja no protagonista.

Eis então que Décio conhece Tassius (Felipe Abib), o vizinho de baixo do seu apartamento que transformou a moradia em um bar de stand up. O novo integrante fica amigo de Décio e, junto com Teo (Pedro Sol), cadeirante e irmão de Lena, fazem com que as inseguranças, medos e incertezas vividos por Décio sejam vencidas por ele mesmo.

Nesse novo trabalho da dupla Pedro Antonio e Álvaro Campos, um período real vivido pelo humorista Leonardo Núñez de Miranda Reis, mais conhecido no meio artístico de Gigante Leo, foi adaptado às telonas. No longa-metragem, não só foi apresentado o preconceito como uma via de mão única. Neste trabalho mostrou-se que quem sofre preconceito também o tem com relação a outras coisas e pessoas. Mas que pode ser vencido se assim for feita a vontade dos envolvidos.

Uma outra grande lição do filme, que de uma forma bem interessante mescla cenas de stand ups reais de Gigante Leo, é da força que o humor tem de espantar problemas e fazer com que, por meio do riso, a tristeza, a seriedade, o preconceito, a raiva, enfim, todos os sentimentos que trazem energias negativas vão embora.

Nesse ponto se destaca um grande feito pela dupla Antonio e Campos. Os cariocas conseguiram criar um enredo em que é possível, diante do drama e da difícil realidade vivida por Décio, identificar um humor que torna a situação mais leve por meio do riso. Mas essa não é a única lição trazida por Altas Expectativas.

Nele, um outro ponto muito importante para os dias atuais é posto em cheque: O limite do humor. Muito se discute atualmente sobre a forma que o riso encontra de contagiar e atrair as pessoas. Existe de fato um limite? Um assunto tabu? Uma outra forma de tratar assuntos delicados? O filme aborda com destreza essas questões.

Altas Expectativas é uma lição de vida, de perseverança. Perder o medo, a insegurança e a incerteza são a chave da felicidade.