Divulgação

A nova produção de Jake Kasdan, Jumanji: Bem-Vindo à Selva, entra em circuito nacional no dia 4 de janeiro de 2018 e conta a história de quatro adolescentes que são sugados para dentro do jogo Jumanji e precisam termina-lo para voltarem para casa. Durante a aventura que é o filme, os heróis vão ter que enfrentar animais selvagens e assassinos para finalmente conseguirem completar o objetivo do game.

A grande inovação do filme, além de do jogo de tabuleiro se transformar em vídeo game, é que, ao serem sugados para dentro da selva, os meninos se transformam nos personagens que escolheram e todos eles estão dentro de alguém com uma personalidade completamente diferente da real, e essa também é a sacada mais engraçada do longa-metragem. Ver Jack Black (Escola de Rock) interpretando uma patricinha indignada e Dwayne Johnson (Baywatch) um nerd assustado é realmente cômico.

O enredo é bom e tem uma boa história baseada nos níveis usuais de vídeo game, a partir dele lembramos coisas que são importantes em qualquer situação, extremas ou não, como união, amizade, trabalho em grupo e que devemos dar uma chance às pessoas, porque muitas vezes elas não são o que parecem, além de que mostra como a ambição pode consumir uma pessoa e a destruir. Acima de tudo, Jumanji: Bem-Vindo à Selva é um filme divertido, com aquela clássica pitadinha de humor dos filmes de Jack Black e Kevin Hart (Um Espião e Meio).

Em relação à atuação, é razoável, mas boa. A questão é que não mostra nada muito diferente das atuações já feitas em outros filmes. O legal mesmo foi a questão de eles representarem duas personalidades misturadas no mesmo personagem e que são diferentes entre si. Ou seja, há um choque de características que ficou engraçado e caiu muito bem. Quanto aos meninos que interpretaram os adolescentes, fizeram um bom trabalho também, mas Madison Iseman (Tales of Halloween) merece um destaque por ter feito um papel cômico, mas que começa com uma postura e termina com outra. Não foi algo altamente versátil, mas ela fez um bom trabalho.

Por fim, Jumanji: Bem-Vindo à Selva não é um filme que deve ser levado muito a sério, ele foi feito para descontrair a mente, para rir e para que o espectador saísse leve. Não há nada de extraordinário, mas é divertido e vale a pena.