Divulgação

Altas Expectativas, filme nacional que estreia dia 7 de dezembro, tem no comando os diretores Álvaro Campos e Pedro Antonio e já passou por diversos festivais. O longa é uma comédia dramática sobre um homem tímido que usa da comédia para conquistar o coração de sua crush. Essa história pode parecer batida, mas tem um leve diferencial: o personagem principal é vivido por um anão. Para falar a verdade esse é o primeiro filme nacional onde o protagonista é uma pessoa com nanismo.

Décio (Leonardo Reis, também conhecido como Gigante Léo) é um treinador de cavalos no Jockey Club Brasileiro e se apaixona à primeira vista por Lena (Camila Márdila), uma jovem melancólica que herdou um café no clube mas que só está trazendo prejuízo, e ainda tem as despesas da clínica onde seu irmão mais novo é tratado. Lena é uma pessoa que dificilmente ri, e aos poucos vai criando uma amizade com Décio, que também é a única pessoa que consegue fazê-la rir, sempre deixando piadinhas para que ela leia durante o dia. Em paralelo, Décio e seu vizinho humorista, Tássio (Felipe Abib) estão montando um bar de comédia, e assim ele bola um plano de conquistar Lena em sua primeira apresentação, mas a vida não é assim tão fácil.

O longa foi roteirizado pelos diretores junto com Leonardo Reis, pois é livremente inspirado em sua vida e de como ele conheceu sua esposa. Provavelmente por isso é um filme que não usa o anão como um alívio cômico ou faz graça com as dificuldades vividas por pessoas com nanismo. O humor do filme vem do próprio senso de humor de Décio. Em paralelo com a história, também é mostrado partes do show de Stand Up do próprio Gigante Léo, nessas partes sim o filme é cômico, pois no resto é mais bem-humorado do que engraçado, por assim dizer. E um dos méritos de Altas Expectativas, é como Leonardo Reis pôde ser explorado como ator, não só comediante. Durante o filme o vemos passar por diversas emoções e ele se mostra um ator competente.

Contudo o filme ainda tem seus problemas. As cenas do stand up não exatamente se relacionam com a história principal e, apesar de trazer reações positivas da plateia, é um pouco jogada, se destoando do resto da narrativa. A parte do romance não é tão romântico, pois durante o filme todo fica parecendo mais com um amor platônico do que algo com chances reais para Décio. Além do protagonista, os personagens não possuem muita profundidade e são um tanto over. Até mesmo Lena, que por ser bem sisuda, não fala muito e suas motivações acabam não sendo exploradas de uma forma melhor.

A direção não se destaca muito, e em alguns momentos do filme há um pequeno flashforward sem explicação, o que acaba ficando um pouco confuso. Contudo a câmera foca no rosto de Décio boa parte do tempo, enfatizando suas expressões.

Altas Expectativas é um filme agradável, talvez um pouco previsível, mas isso não é um problema. O filme tem sim suas falhas, no roteiro e na direção dos atores, mas é um filme que trata de um assunto bastante ignorado, quando não usado como chacota. A execução pode não ser perfeita, mas é preciso admitir que a ideia é importante e bem-vinda. Em um mundo onde tudo que é diferente não é bem-visto, o respeito e a igualdade deveriam ser coisas mais propagadas.

É um filme que pode ser assistido com poucas expectativas, e talvez o espectador mais exigente precise relevar algumas coisas, mas a história do homem que tinha medo de ser piada, e se encontrou no humor para conquistar a menina que não ri, é bem simpática e vale a pena ser assistida. Sem falar que esse filme abre portas para que outros atores com deficiências sejam representantes na grande tela, mostrando que todo mundo, independente de seu físico, é igual e merece visibilidade.