Divulgação

Nove anos após a publicação do último livro da saga Harry Potter, surge a verdadeira última história da saga, passada 19 anos depois, a partir da cena do epílogo de Harry Potter e as relíquias da morte.

Inicialmente, é importante frisar que Harry Potter e a criança amaldiçoada não foi escrito pela J.K. Rowling, mas por John Tiffany e Jack Thorne e aprovado pela autora da saga após revisões feitas por ela.

A história traz uma proposta interessante em que o filho do Harry Potter (Alvo) é o melhor amigo do filho do Draco Malfoy (Escórpio) e, devido a problemas familiares entre Alvo e seu pai, os garotos acabam por viajar no tempo numa tentativa de mudar o passado. A leitura, portanto, possui um desenrolar muito agradável, principalmente porque é perceptível que houve um cuidado dos autores para com os fãs da saga através do retorno de personagens queridos, além de algumas passagens da história que deixaram-na emocionante, fazendo-a ganhar pontos com o público.

Por se tratar de um livro-roteiro, as marcas de personalidade das personagens são percebidas pelo leitor através de suas falas, tanto daqueles que estão sendo apresentados ao antigo leitor da saga apenas nessa história (como o Alvo, o Escórpio, a Rosa e a Delfi), quanto como os antigos personagens, e essa é uma característica marcante no texto, visto que, em comparação aos livros anteriores, vários personagens sofreram mudanças na personalidade; o Rony Weasley é provavelmente o exemplo mais forte, pois foi reduzido a um adulto que faz piadas em momentos inoportunos e está útil apenas para fazer par romântico com a Hermione, o que dá a impressão de que os autores selecionaram apenas algumas características do Rony-adolescente (as menos significativas) e basearam o novo personagem apenas nelas, não o deixando amadurecer. Outro exemplo disso foi a construção da Minerva McGonagall, que diversas vezes se submeteu às ordens do Harry dentro de Hogwarts.

Houve contradições comparando à história original tanto durante o desenrolar da trama quanto (e agora eu diria que principalmente) no desfecho do livro, que foi polêmico entre os fãs, desagradando vários, pois acabou por tirar a sensação de realidade da história.

Contudo, de forma geral, o retorno ao mundo bruxo através de uma nova história contada de uma forma diferente faz com que o leitor se sinta "de volta em casa", despertando o sentimento de nostalgia pela saga. Falando como fã da saga, a leitura foi como reencontrar um velho amigo e passar a noite ouvindo tudo o que se passou em sua vida durante o tempo que ficamos separados.