Divulgação

Perseguição policial. O foragido portava um aparelho de apenas um botão. Encurralado, ele é forçado a soltar o objeto. Mas insiste que não seria uma boa ideia, por várias pessoas poderem sofrer após tal ato. Disparos. O possível ladrão, cujo nome era Edgar Munsen (Josiah Black), cai, morto. É com essa ação e adrenalina que se mostra o que estaria por vir em Jogos Mortais: Jigsaw.

Dirigido pelos irmãos Michael e Peter Spierig, o novo filme da franquia Jogos Mortais contém muito mais ação e suspense comparado ao terror thrash presente nos primeiros episódios. Continuando com o tema relacionado à vida, o longa-metragem se aprofunda mais nas questões de âmbito social.

Mentira, negação, egoísmo. Características que estão tão incrustadas no comportamento social que passam até despercebidas. E são elas que regem a vida de três participantes do jogo. Mitch (Mandela Van Peebles) responde pela mentira. Anna (Laura Vandervoort) é a negação. E Ryan (Paul Braunstein) é o egoísmo. Todos os três personagens se conheceram logo no início, quando são mostrados desacordados, presos e usando um capacete metálico. Porém, não estavam sozinhos, Lee James (Michael Boisvert) e Carly (Brittany Allen) também participaram no início, mas foram vencidos na primeira e segunda fase, respectivamente.

A trama do enredo começa a dar sinais de vida a partir do momento em que o corpo de Lee é levado para a autópsia, onde é estudado por Logan Nelson (Matt Passmore) e sua assistente Eleanor Bonneville (Hanna Emily Anderson). Ao aprofundarem a análise do defunto descobrem duas coisas que dão a primeira reviravolta do longa.

O material genético coletado correspondia, na verdade, a John Kramer (Tobin Bell), um serial killer supostamente morto e conhecido como Jigsaw. E na superfície da pele do cadáver havia um pendrive que trazia a gravação de John dando as regras do jogo. A partir daí, a investigação começou a tomar um rumo cada vez mais dramático.

Essa mescla de suspense e ação trazida pelos irmãos Spierig foi uma boa aposta para essa nova produção. Com esses dois ingredientes, a tensão e a imersão no enredo ficaram mais fáceis de serem realizadas. Mas não só isso. Os diretores conseguiram fazer com que, no decorrer da trama, Jigsaw se tornasse o anti-herói com empatia que facilmente conquista e intriga.

No papel, o personagem traz à tona a temática do novo jogo: Confissão. Essa é a palavra que define tanto o jogo em si quanto a história em seu redor. Deixar às claras o pecado e ter coragem de assumi-lo prova a humildade dos personagens em reconhecer o dano. A aceitação e opinião popular também regem o comportamento de Mitch, Anna, Ryan, Carly e Lee James.

Distribuído nacionalmente pela Paris Filmes, Jogos Mortais: Jigsaw tem previsão de estreia para dia 30 de novembro. Com um orçamento de US$ 10 milhões, o filme é um sinal do nascimento de uma nova trilogia. Se os próximos filmes tiverem os mesmos ingredientes deste, terão grande potencial de se tornar thrillers.