A noite de 5 de novembro foi bastante especial para a banda de rock nacional Legião Urbana. Comemorando seus 30 anos de carreira, a banda se apresentou no Cabanga Iate Clube, na cidade do Recife, com um show competente, energético e saudoso. Apesar do atraso de quase uma hora e meia, a banda compensou tocando Será com o animado André Frateschi assumindo os vocais. A apresentação continuou em mesmo nível, tocando na íntegra seu primeiro álbum completo, contando até com um cover de Guns of Brixton, da banda de punk inglesa The Clash. A plateia seguia o ritmo que seu vocalista ditava, dançando em todos os cantos do palco, com direito a um "duelo" com o guitarrista Dado Villa-Lobos na canção Petróleo do Futuro, mas foi na canção Por Enquanto que o lugar ecoou as vozes de seu público, cantando os versos da música o mais alto possível.
 

 Ítalo Donato / Allmanaque

Com uma pausa de dois minutos para apresentar uma vinheta de uma interpretação de Renato Russo, como se ainda estivesse vivo, falando sobre o cenário atual do Brasil, marcando a presença de uma homenagem ao mesmo no show de aniversário. Ao fim, Frateschi e Villa-Lobos entram cantando um cover de Heroes, de David Bowie, e após isso, Frateschi deixa o palco para dar lugar aos convidados Jonnata Doll e Marina Franco (da banda Glass and Glue), que assumiram os vocais durante a música Dezesseis. Após isso, o olindense China (ou China Ina) tomou parte cantando Quase Sem Querer, onde o convidado esqueceu a letra em certo momento, e Villa-Lobos tirou sarro do cantor por isso, dizendo "Esse aí sabe tudo".
 

 Ítalo Donato / Allmanaque

André retoma os vocais com Eu sei, e guia a plateia para uma versão acústica de Pais e Filhos, canção antecedeu o final triunfal de quase dez minutos com a épica Faroeste Caboclo. "Recife, foi bom rever vocês!", com essas palavras ditas por Villa-Lobos, a Legião Urbana encerra sua festa de 30 anos em alto tom.