Divulgação

Em Wind River, uma reserva indígena do gelado estado de Wyoming, nos Estados Unidos, uma adolescente nativa americana corre na neve, descalça, por aproximadamente 10 km. Somente parando devido às condições extremas, o que ocasiona o colapso de seus pulmões e, enfim sua morte.

O corpo da jovem, chamada Natalie (Kelsey Asbille) é descoberto pelo caçador e agente de Pesca e Vida Selvagem, Cory Lambert (Jeremy Renner), e então chega à reserva Wind River, uma agente do FBI, para iniciar a investigação. Jane Banner (Elizabeth Olsen), contudo, não pode trazer uma equipe de reforço caso não tenha acontecido um homicídio, pois é dito no laudo que a moça morreu devido ao congelamento da água de seus pulmões, assim como indica que a jovem também foi estuprada.

Cory e Jane então investigam a fundo e acabam descobrindo o que aconteceu e quem foram os culpados. Jane, enfim se convence de que é uma agente competente e Cory, que era traumatizado pela morte misteriosa da filha, que também era melhor amiga de Natalie, sente-se levemente vingado.

Terra Selvagem, dirigido e roteirizado por Taylor Sheridan, é um filme que trata sobre um assunto que é ignorado pelo governo americano, o desaparecimento de pessoas nativas americanas. No final do filme, que é baseado em uma história real, é dito que não há registros sobre os desaparecimentos dentro das reservas.

O título do filme em inglês é Wind River, nome da reserva onde a história se passa, mas a sua tradução para o português é Terra Selvagem, ou seja, o nome foi adaptado e não traduzido, mas esse título do Brasil faz muito mais sentido com relação à proposta do filme. Em um diálogo entre Cory e Jane, a agente fala que teve sorte em certa situação que passou, contudo o caçador refuta sua ideia, dizendo que sorte é para quem está na cidade, nas montanhas do Wyoming só sobrevive quem é forte e guerreiro. Assim mostrando a dificuldade que é viver por lá.

Este é um thriller que trabalha muito bem, além da ação e suspense, o drama. Não é somente um filme de investigação de um assassinato ou coisa do tipo. É um filme sobre a perda e como lidamos com isso, sobre a dificuldade de se viver em um ambiente tão duro quanto aquele, sobre o preconceito ainda existente contra o povo indígena.

A direção do novato Taylor Sheridan, que roteirizou vários filmes, é muito competente, principalmente nas cenas de ação, mas o ritmo do filme todo é bem dinâmico. Talvez até demais, como quando se descobre quem é o culpado e o que aconteceu com Natalie em poucos minutos. Mas de qualquer forma, a narrativa, que pode ser simples, é tratada de uma forma profunda e reflexiva, que marcará o expectador.

Tecnicamente é um filme muito forte. A fotografia explora as paisagens das montanhas e toda aquela interminável neve, dando um ar bem frio ao filme, tanto pelo clima, como pelo estado emocional dos personagens. E as atuações dos atores principais, que já trabalharam juntos em filmes da Marvel, e do resto do excelente elenco estão ótimas, são sucintas mas precisas.

Terra Selvagem, que estreia em todo o Brasil dia 2 de novembro, é sem dúvidas uma agradável surpresa. Um filme delicado, mas ao mesmo tempo violento, traz cenas sensíveis, assim como difíceis de ver. Sua premissa parece ser batida mas ele se mostra um filme importante, principalmente por saber trabalhar essa importância. Um filme que emociona, choca e faz pensar.