Júlia Queiroga / Allmanaque

Todas as Mulheres é um livro de poesias escrito por Fabrício Carpinejar, jornalista, poeta e cronista, lançado pela editora Bertrand Brasil em 2015.

Todas as poesias em seu livro não buscam retratar as diferentes mulheres que se podem encontrar na rua, apesar do título levar uma pessoa à essa perspectiva. Na realidade, trata-se de responder a pergunta que rege todo o livro "quem será minha viúva?". Essa não é a primeira obra em que ele busca falar sobre amor.

Em uma vã tentativa de responder a essa pergunta, Carpinejar acaba falando não só de amor como de amizade, companheirismo e saudade. Interessante notar como cada poesia acaba contando um pouco de sua relação com sua esposa, sua mãe e com si mesmo.

Os textos são simples, líricos e extremamente profundos, podendo fazer a pessoa se questionar sobre coisas como amor e a vida. Com quantas pessoas você se relacionou e sentiu que passaria a vida com ela? Carpinejar questiona se todas as pessoas a que você se relacionou choraria sua morte e sentiria sua falta. E se a outra pessoa morre? Você sentiria falta? A forma como ele escreve é bastante suave, então essas perguntas podem acabar surgindo no decorrer da obra. É um livro bem simples e com uma forte temática, uma boa leitura para um fim de tarde.