Getty

Em post, vocalista ordenou que fã deixasse de ouvir as músicas do Green Day

O cantor, guitarrista e compositor do grupo de punk rock estadunidense Green Day, Billie Joe Armstrong, atacou um fã pró-Donald Trump no Instagram. Ocasião aconteceu após Armstrong postar a imagem de um tweet recente do presidente dos Estados Unidos em que estava escrito "Tenho o maior e mais poderoso botão nuclear do que o líder norte-coreano Kim Jong Un".

Em resposta, o vocalista postou "Isso não é engraçado. Este é o nosso presidente agindo como um louco, bêbado por poder e ameaçando pessoas inocentes e famintas em prol de uma guerra nuclear. A vigésima quinta alteração deve ser aplicada. Este homem está doente e impróprio para o posto. Não me importo se seu liberal ou conservador. Isso tem que parar!".

Em seguida, a Alternative Nations reportou que quando um fã disse "As pessoas têm o direito de apoiar Trump!", Armstrong o respondeu perplexo. "Bom... Então vai se foder seu pedaço de merda estúpido. Se esse é o jeito que você pensa sobre destruição e assassinato massivos, vai se foder", escreveu.

Dando continuidade, o frontman do Green Day ordenou que o internauta ficasse longe de seu Instagram e das músicas da banda. "Fique longe do meu Instagram e não volte. Não ouça meus discos!". Para finalizar a postagem, o compositor afirmou não ter problemas em mandar pessoas assim ao inferno. "Isso vale para todos aqueles idiotas que pensam que esse tipo de comportamento deve ser considerado normal".

Billie Joe Armstrong tem sido um vocalista crítico de Trump desde que este assumiu a presidência dos Estados Unidos. Em um show do Green Day durante a Revolution Radio Tour, em 2016, quando a banda executava o single Bang Bang, Armstrong entoou repetidas vezes as frases de ordem "Não ao Trump, não kkk, não aos Estados Unidos fascista". Tal canto foi baseado na música Born To Die, integrante de autointitulado disco do grupo punk Millions Of Dead Cops (MDC), de 1982.