Reprodução

Netflix, HBO, Amazon, Globo, Sony e outras emissoras e criadoras de conteúdo, formaram uma coalisão para combater a pirataria, chamada de ACE ou Alliance for Creativity and Entertainment ("aliança pela criatividade e entretenimento", em tradução livre).
 

"O mercado legal de conteúdo criativo cresceu de forma exponencial, já que as empresas de cinema e televisão investiram fortemente em modelos de distribuição digital. Atualmente, existem mais de 480 serviços online em todo o mundo disponíveis para que os consumidores vejam filmes e programas de televisão legalmente sob demanda", comentou a ACE em nota oficial.

A ACE notou que os sites que oferecem filmes e séries piratas via streaming alcançaram cerca de 21,4 bilhões de visitantes únicos em 2016, e vão usar a expertise de seus membros para combater esses números.

"A pirataria também coloca os consumidores em risco. Um em cada três sites piratas infecta os consumidores com malware, o que pode levar a uma série de problemas, incluindo roubo de identidade e perda financeira, de acordo com um relatório de dezembro de 2015 da Digital Citizens Alliance", notou a ACE.